Hospital Veterinário da UEL recruta cães para doação de sangue

O Projeto VIDA, ligado ao Hospital Veterinário da Universidade Estadual de Londrina está cadastrando cães para serem doadores de sangue para uso no hospital. Segundo a professora Patrícia Mendes Pereira (foto), que coordena o Projeto VIDA, atualmente, cerca de de 50 cães de Londrina e região são doadores regulares para o hospital, mas o volume doado não consegue atender a demanda de sangue canino para uso em cirurgias e transfusões. Para atender plenamente o Hospital Veterinário da UEL são necessários 300 doadores fixos.

O Projeto VIDA, criado em 2006, é um projeto de extensão à comunidade ligado ao Departamento de Clínicas Veterinárias, do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Estadual de Londrina (UEL). O projeto recebe em média 10 doações de sangue por semana e segundo Patrícia Mendes Pereira o número atual de doadores não é suficiente para atender o grande volume de cirurgias e transfusões realizadas diariamente pelo Hospital Veterinário. Para atender toda a demanda é necessário aumentar o número de doadores regulares.

A professora, que também é diretora do Centro de Ciências Agrárias (CCA), explica que uma bolsa de sangue atende até dois cães de pequeno porte ou um de grande porte, mas há casos em que um animal utiliza duas bolsas de sangue. Com isso, o estoque do Banco de Sangue de Cães do Hospital sempre é esvaziado rapidamente. Por este motivo, Patrícia defende a doação sanguínea como forma de ajudar a salvar a vida de animais doentes.

Para doar– Patrícia informa que os principais doadores são animais das raças Golden, Labrador e Pit Bull. Ela informa que outras raças também podem doar. Para se tornar um doador, o cão precisa ser de grande porte, ter entre 2 e 8 anos, pesar mais de 28 quilos, ser vacinado anualmente, além de ser saudável e manso. A doação pode ser feita a cada três meses. Vale ressaltar que a fêmea não pode estar no cio no momento da doação.

Além de ajudar outros animais, os doadores também recebem benefícios, como exames clínicos e hematológicos a cada doação, vermifugações periódicas e revacinação anual – após quatro doações feitas durante o ano.

Coleta – A coleta é realizada no Laboratório de Medicina Transfusional do Hospital Veterinário. Conforme informa a professora, o espaço destinado para o procedimento de doação, inaugurado em 2016, visa atender exclusivamente animais em boas condições de saúde. O procedimento é realizado na presença do guardião, com o animal deitado sobre uma mesa, sem sedação.

A professora explica que o sangue é coletado numa bolsa de armazenamento semelhante à humana. São retirados de 400 a 450 ml de sangue, que posteriormente é dividido em duas bolsas: uma com as hemácias e outra com o plasma sanguíneo. O concentrado de hemácias é utilizado, em 95% dos casos, para animais com anemia, além de atender cães que passam por processos cirúrgicos. Ele pode ser armazenado por até 45 dias em uma temperatura de 4ºC. Já o plasma fica congelado em temperatura de 37º negativos e pode ser armazenado por até um ano. É utilizado em animais queimados ou portadores hereditários de coagulação, por exemplo.

Outras informações e contato, na página do Projeto VIDA no Facebook: http://www.facebook.com/ProjetoVidaUEL/

Fontes: ANPr e Agência UEL Fotos: Agência UEL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s