Campanha conscientiza sobre compra de coelhos vivos na Páscoa; todos os anos, após a Páscoa, muitos coelhos são abandonados e morrem nas ruas

O Governo do Estado incentiva que coelhos sejam substituídos por presentes alternativos nessa Páscoa. Todos os anos, após a Páscoa, muitas pessoas abandonam esses animais em lixeiras, parques e praças e muitos morrem de frio, fome ou atacados por cães. O ideal, segundo a campanha, é comprar presentes alternativos, como coelhos de pelúcia ou de chocolate.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo lança nessa terça (09) a campanha Páscoa Consciente. A ação tem o objetivo de conscientizar as pessoas a encontrarem outras opções à compra de coelhos como animais de estimação, o que é comum nessa época por serem animais considerados dóceis e associados a um dos símbolos da Páscoa.

O que as pessoas não sabem é que todos os anos, após a Páscoa, muitos coelhos são encontrados abandonados em lixeiras, parques e praças, e acabam morrendo de frio, de fome, atropelados, ou atacados por cães. A secretaria alerta que o abandono de animais é considerado crime ambiental.

Isso acontece porque nem sempre quem ganha um coelho de presente está disposto a arcar com os cuidados que o animal necessita – e que não são poucos. Além disso, de forma geral, os coelhos são criados em gaiolas e encontram dificuldades para sobreviver nas cidades sem cuidados humanos.

A Secretaria recomenda a quem quer fugir dos tradicionais ovos de Páscoa que busque outras alternativas, como coelhos de pelúcia ou de chocolate. Além de trazerem a mesma representatividade, essa atitude evita futuros abandonos.

Campanha Páscoa Consciente– A fim de evitar a compra antecipada desses animais, a Secretaria pede a ajuda da população na divulgação da campanha (cartaz abaixo), compartilhando o post da sua página no Facebook (http://www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo).

Abril Laranja – A Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra os Animais instituiu o Abril Laranja, dedicado à prevenção aos maus-tratos contra os animais. A proposta é fazer com que as pessoas reflitam sobre esta prática, que não se resume à violência física.

Todas as ações de negligência, omissão ou que resultem em algum sofrimento ao animal configuram maus-tratos. No caso de animais domésticos, como cães, estas situações incluem abandono, manter preso permanentemente em correntes, deixar sem abrigo adequado da chuva ou do sol, não fornecer alimentação adequada e os cuidados médicos necessários, privar da ventilação ou luz solar, manter em locais pequenos e anti-higiênicos,

Em Curitiba, as denúncias podem ser feitas pelo telefone 156, da Prefeitura. Nas demais regiões do Estado a população deve buscar o canal em seu município, geralmente as secretarias do Meio Ambiente ou as Prefeituras.

CDF com ANPr. Foto: Divulgação SEDEST

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s