Reajuste de 12,13% da tarifa de água será discutido na Assembleia Legislativa com o presidente da Sanepar

cambedefato.com / 19 de abril de 2019.

Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) recebe na próxima terça-feira (23), às 9h30, o diretor-presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Claudio Stabile, e o presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), Omar Akel, para uma reunião com os deputados para tratar do reajuste de 12,13 % na tarifa de água. O aumento, solicitado pela Sanepar e autorizado pela Agepar, foi abordado pelos parlamentares na sessão plenária da última terça-feira. A proposição é do líder do Governo, deputado Hussein Barkri (foto).

Na tribuna da ALEP, o líder expôs os motivos de sua iniciativa. “Todos os pedidos dos deputados que valorizem o Poder Legislativo sempre serão atendidos. Esse é o meu papel enquanto líder do Governo, de tratar essas questões com seriedade. Teremos aqui a presença dos presidentes da Sanepar e da Agepar para cumprir a função que lhes cabe de responder aos verdadeiros representantes da população”, afirmou Bakri.

De acordo com a Sanepar, o índice de 12,13% é composto pela inflação dos custos do setor de saneamento mais a terceira parcela do diferimento aprovado na revisão tarifária de 2017. O reajuste passa a valer 30 dias após a data da publicação pela Agência Reguladora e será aplicado de forma gradativa, dependendo da data da leitura de cada consumidor.

Repercussão – O anúncio do reajuste de 12,13% nas tarifas de saneamento, cobradas pela Sanepar, repercutiram negativamente junto à população. O assunto dominou as redes sociais, sobretudo por conta da diferença entre o aumento autorizado (12,13%) e a inflação do período, que foi de 4,3% e ainda graças à comparação com o reajuste do ano passado, que foi de 5,12%. Como resposta ao anúncio do aumento, um prefeito de uma cidade da região noroeste emitiu decreto municipal cancelando o reajuste para a sua cidade. A medida, no entanto pode não ter efeito prático, já que a Sanepar tem um sistema próprio de tarifação que não é regulado pelas Prefeituras dos municípios onde ela atua. Nos contratos que a empresa firma com os municípios há cláusula que subordina os aumentos a serem repassados para os usuários ao sistema geral de tarifas da empresa, regulado pela Agepar.

Movimentação – Em Cambé, um grupo de lideranças comunitárias fizeram uma primeira reunião (foto abaixo) para iniciar um movimento de contestação do aumento, mas também em função dos valores já cobrados pela Sanepar, considerado por eles como “abusivos”. Um dos organizadores do movimento, Jorge Teodoro, explicou os motivos da movimentação. “Realizou se hoje uma reunião com lideranças comunitárias de várias regiões de Cambé para direcionamentos relacionados aos abusos da Sanepar em nosso município. Vamos elaborar um documento pra acionar o Ministério Público e cobrarmos uma solução contra as altas faturas que estão chegando na casa dos munícipes cambeenses”, disse Jorge em uma postagem em rede social.

CDF com informações de Thiago Alonso (ALEP); foto de Orlando Kissner/ALEP e redes sociais.

#sanepar #aumentodetarifa #tarifadeagua #reajustetarifa #parana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s