Policiais e bombeiros que salvaram vidas com manobra de Heimlich são homenageados

cambedefato.com / 22 e maio de 2019.

Vinte policiais e bombeiros militares receberam a Menção Honrosa por se destacarem ao aplicarem a manobra de Heimlich, movimento usado para desobstruir vias aéreas em vítimas de engasgo. A homenagem, proposta pelo deputado estadual Coronel Lee aconteceu durante sessão solene no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (ALEP), na noite de terça-feira (21).

Em seu pronunciamento, o deputado Coronel Lee falou que 349 pessoas foram salvas por policiais e bombeiros graças a essa manobra somente neste ano.

Os homenageados, vindos de diversas regiões do Paraná, possuem histórias e experiências únicas que ficaram marcadas na trajetória dentro da corporação. Mesmo diferentes entre si, todos têm em comum as abnegações pelo servir à população.

“Esse é o momento oportuno para que o Estado como um todo possa relembrar e homenagear esses policiais que fizeram a manobra de Heimlich.  Sua calma e técnica vieram afloradas para salvar essas vidas”, disse o deputado Lee. “Nas nossas academias de formação os nossos policiais aprendem várias outras técnicas de socorro e urgência, mas nesta, em especial, a quantidade de vida que eles salvaram é muito grande e eficaz”, complementou.

Para o sargento Luiz Carlos Santos Souza, do 7º Subgrupamento de Bombeiros Independente (7º SGBI), que trabalha na Corporação há 25 anos, receber a homenagem gratifica tanto o trabalho do policial quanto do bombeiro militar. “Todos estão sendo homenageados pelo mesmo motivo. E, mesmo depois de tanto tempo de trabalho, ser agraciado com uma homenagem dessas mostra que o nosso serviço dedicado à comunidade vale a pena”, afirma.

O agraciamento desses 20 bombeiros e policiais militares é reflexo do ato heroico de cada um em algum momento de suas vidas. E, por trás de cada homem e mulher mencionados no evento, há uma história de socorro prestado, que certamente marcou a vida de muitas pessoas envolvidas, e que merece ser contada para a valorização desses profissionais.

A soldado Elisangela Rodrigues foi um dos PMs homenageados. Ela salvou a vida de uma criança em Curitiba.

A soldado Elisângela de Fátima Rodrigues estava na sede do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM), local onde ela atua, quando foi abordada por uma pessoa que gritava por socorro a uma criança afogada. Nos braços da mãe, que aguardava dentro de um carro estacionado na frente da companhia, a criança já estava bastante roxa quando Elisângela e um companheiro de serviço atenderam ao chamado. “Imediatamente peguei o telefone e fui até o carro com meu companheiro. Ele tomou a criança, fez a manobra e ela desafogou enquanto eu recebia, por ligação, orientações do SAMU de como a gente deveria agir naquela situação”, conta a soldado. “Graças a Deus ela voltou a respirar normalmente e, depois de receber alta do hospital, os pais voltaram à sede para nos agradecer”, completa.

Depois de relembrar sua história, a soldado, durante o evento, declarou estar feliz pelo reconhecimento. “Nada é mais gratificante do que saber que a menininha ficou bem. A gente não espera uma situação assim, por não ser corriqueira, mas estamos prontos para ajudar a população, independente do problema que ela tenha. A gente fica muito feliz de ter esse reconhecimento por parte do Coronel Lee”, diz a policial.

O reencontro emocionado dos policiais com recém-nascida salva pela manobra de Heimlich

Os soldados Leonardo Rodrigues Martinez, Sidney de Oliveira e Paulo Sérgio Evangelista de Souza utilizaram a manobra de Heimlich para salvar a pequena Rafaela, de apenas 11 dias.

Um recém-nascido chegou muito próximo da morte na quarta-feira (15), mas graças ao trabalho rápido dos policiais, a pequena Rafaela teve sua vida salva após um engasgamento. A ocorrência aconteceu na cidade de Cruzeiro do Oeste  e foi liderada por militares estaduais do 7º Batalhão de Polícia Militar (7º BPM).

A situação, por mais desesperadora que fosse, foi conduzida calmamente pelos soldados Leonardo Rodrigues Martinez, Sidney de Oliveira e Paulo Sérgio Evangelista de Souza que utilizaram a manobra de Heimlich, um movimento que expulsa qualquer corpo estranho que esteja obstruindo as vias respiratórias da vítima.

O reencontro entre os policiais e a bebê Rafaela (hoje com 16 dias) aconteceu na manhã da segunda (20), durante a Solenidade Militar em homenagem ao Patrono da Polícia Militar do Paraná, o coronel Sarmento. Os pais da criança organizaram a surpresa. “Eu chorei de medo, mas hoje choro de alegria e gratidão a esses policiais que me socorreram tão rapidamente”, disse Hevelin, a mãe de Rafaela.

“Todos veem a PM como o órgão que serve apenas para punir, mas esquecem que há o lado humano do policial, que muitas vezes fica em segundo plano por conta das outras ocorrências que atendemos. Mas o policial tem que ter o treinamento básico de primeiros socorros, para poder atender a todos”, afirma o oficial de comunicação do 7º BPM, tenente Rafael Lemos Pacheco.

O tenente também afirma que não é comum esse tipo de ocorrência, mas diz que as pessoas, quando ligam pro 190 ao invés do Corpo de Bombeiros ou Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE), já estabeleceram confiança em saber que os policiais também  tem preparo para atuar em casos de emergência médica.

O que é a Manobra de Heimlich 

A Manobra de Heimlich é o melhor método pré-hospitalar de desobstrução das vias aéreas superiores por corpo estranho. Essa manobra foi descrita pela primeira vez pelo médico estadunidense Henry Heimlich em 1974 e induz uma tosse artificial, que deve expelir o objeto da traqueia da vítima. Resumidamente, uma pessoa fazendo a manobra usa as mãos para fazer pressão sobre o final do músculo diafragma. Isso comprimirá os pulmões e fará pressão sobre qualquer objeto estranho deixe a traqueia.

Como fazer – A pessoa a aplicar a manobra deverá posicionar-se atrás da vítima, fechar o punho e posicioná-lo com o polegar para dentro entre a cicatriz umbilical e o osso esterno. Com a outra mão, deverá segurar o seu punho e puxar ambas as mãos em sua direção, com um rápido empurrão para dentro e para cima a partir dos cotovelos. Deve-se comprimir a parte superior do abdome contra a base dos pulmões, para expulsar o ar que ainda resta e forçar a eliminação do bloqueio. É essencial repetir-se a manobra cerca de cinco a oito vezes. Cada empurrão deve ser vigoroso o suficiente para deslocar o bloqueio. Caso a vítima fique inconsciente, a manobra deve ser interrompida e deve ser iniciada a reanimação cardiorrespiratória. A manobra de Heimlich não se aplica da mesma maneira para grávidas.

CDF com Marcia Santos, jornalista da PMPR e Wikipedia.

Fotos: Amanda Morais/PMPR; PMPR/divulgação e Wikipedia.

#manobradeheimlich #pmpr #bombeiros #policiamilitar #parana #alep  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s