Londrina é certificada na categoria máxima (A) do Mapa Turístico Brasileiro

cambedefato.com / 22 de janeiro de 2020.

Londrina recebeu nesta quarta-feira (22) o certificado que elevou a cidade para a categoria A do Mapa Turístico Brasileiro, atualizado pelo Ministério do Turismo em agosto de 2019. A entrega foi feita pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, e o presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl, ao prefeito Marcelo Belinati.

Nesta categoria estão os municípios com maior fluxo turístico, maior número de empregos e estabelecimentos de hospedagem, de acordo com pesquisas feitas pelo ministério. No Paraná, apenas Londrina, Curitiba e Foz do Iguaçu estão na categoria A.

A certificação é uma maneira de comprovar que a cidade está inserida no mapa e faz parte do rol de 2.694 destinos brasileiros que trabalham o turismo como política de desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda. As cidades recebem classificação de A (nota máxima) até E (nota mínima) no Mapa do Turismo Brasileiro.

O secretário Márcio Nunes destacou que a categoria A é concedida pelo governo federal, mas que representantes do Estado foram fazer a entrega em reconhecimento ao status que a cidade conquistou no setor. “Essa conquista demonstra que estamos no caminho certo com as políticas públicas do Governo voltadas ao fomento do turismo, transformando a cada momento o Paraná no estado mais moderno, mais inovador e mais sustentável do Brasil”, disse.

De acordo com o prefeito Marcelo Belinati, o município aposta no fortalecimento do turismo de negócios para crescimento do setor e a consequente geração de emprego e renda. “Temos os roteiros rurais, belezas naturais que poucas cidades do País têm. Eu acredito no turismo de negócios porque quem vem participar de um congresso poderá aproveitar para fazer uma trilha, conhecer um restaurante rural”, disse.

Belinati acrescentou que Londrina está vivendo um grande momento neste sentido. “Nós estamos atraindo grandes indústrias e investimentos para a cidade, com foco na industrialização, desburocratização e no turismo de negócios”.

O presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl, afirmou que Londrina qualificou a mão de obra do receptivo e se preparou para o segmento do turismo de negócios e eventos. “O município não tem praias, não tem cataratas, mas possui transporte, alimentação e hospedagem, os três pilares que dão sustentação ao turismo de negócios, que atende um público muito exigente, o que valoriza ainda mais essa conquista”.

MAPA – Ao todo, 2.694 cidades de 333 regiões turísticas do País foram validadas pelo Ministério do Turismo e incluídas na atualização da plataforma. As cidades recebem classificação de A (nota máxima) até E (nota mínima) no Mapa do Turismo Brasileiro. Essa classificação é um instrumento de acompanhamento do desempenho das economias turísticas locais. Além disso, o mapa subsidia a priorização de investimentos por programas do ministério, incluindo ações de infraestrutura, qualificação profissional e promoção dos destinos, observando características peculiares de demanda e vocação turística.

PARANÁ – No Paraná, foram categorizadas 217 cidades, distribuídas em 14 regiões turísticas, segundo o novo mapa. Nessa atualização, os estados e municípios contaram com novos critérios, compromissos e recomendações estabelecidas pelo Ministério do Turismo, entre elas a obrigação de participação de instâncias de governança, em Conselho Municipal de Turismo e Cadastur.

REGIÃO DE LONDRINA – Na região de Londrina, as cidades mais bem colocadas no ranking do Ministério do Turismo são Londrina (categoria “A”) e Arapongas (categoria “C”). As demais cidades estão todas na categoria “D”, inclusive Cambé.

Na comparação do número de visitantes a cada cidade é fácil entender a diferença. Segundo dados do Ministério do Turismo, em 2018 Londrina (A) recebeu 695.250 visitantes domésticos (brasileiros) e 26.665 visitantes internacionais; Arapongas (C) recebeu 45.317 visitantes domésticos e 949 visitantes internacionais e Rolândia (D) 25.587 visitantes domésticos e 553 visitantes internacionais. Sertanópolis (D) recebeu, no mesmo período, 30.579 visitantes domésticos e 245 visitantes internacionais; Porecatu (D) recebeu 29.397 visitantes domésticos e Jataizinho (D) 35.468 visitantes domésticos e 453 visitantes internacionais. Estas três últimas cidades são banhadas por rios ou represas que são grandes atrativos turísticos. Por sua vez, apesar de estar ao lado de Londrina, Cambé figura na categoria “D” e recebeu, em 2018, apenas 3.352 visitantes domésticos e 140 visitantes internacionais. A situação mostra que Cambé tem pela frente o grande desafio de fazer crescer sua participação como destino de visitantes no imenso mercado turístico nacional.

O novo Mapa do Turismo está disponível para consulta no site do ministério.

CDF com Agência de Notícias do Paraná (ANPr) e informações do Mapa do Turismo Brasileiro, do Ministério do Turismo. Fotos: José Fernando Ogura/ANPr. e Denis Ferreira Netto (Sedest).

#cambedefato #parana #londrina #turismo #mapadoturismo #desenvolvimento #geracaodeempregos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s